13 de jan de 2012

Sexta-feira 13: Dia do Orgulho Maia

Quando o décimo terceiro dia do mês cai numa sexta-feira, o imaginário coletivo é inundando de superstições e crendices relacionadas ao azar, cachorros loucos e maus agouros. Mas de onde vem esta tradição macabra relacionada a esta tão inocente data? Resposta: (óbvio!) os maias.

Estes arquitetos do fim do mundo, que pretendem descascar a Terra tal e qual uma mexerica se valendo de um mortal calendário, tem uma relação especial com a sexta-feira 13. Pois se trata do Dia do Orgulho Maia.

Ao invés de prepararem uma parada colorida cheia de animação e música, como a maioria minoria gay, os maias preferem usufruir da data fazendo pequenos experimentos apocalípticos no cotidiano da sociedade leiga. Tudo em nome da busca pela excelência. Afinal, o fim do mundo é um só e tem que ser um luxo!

A seguir, algumas dicas de como sobreviver às traquinagens maias da sexta-feira 13 sem sofrer de taquicardia e pressão alta.

Por uma sexta-feira 13 serena e contemplativa:

• Se o pneu do seu carro furar, rolar uma briga feia com o namorado, perder uma reunião importante, ser assaltado na rua ou a sogra aparecer para passar o final de semana na sua casa... Não relaxe! Isso não é acaso do destino, nem azar, nem nada. Os maias estão, sim, de marcação com você e usando o calendário deles para promover adversidades na sua vida por pura diversão! Pare tudo e comece a meditar até a chegada da meia-noite.

• Evite passar por baixo de escadas. Escadas são scanners do arsenal da máfia maia. Ao passar por baixo de uma, você terá suas informações digitalizadas a nível molecular. O que os maias pretendem fazer com estas informações ainda é um mistério. Talvez repovoar o mundo com clones depois do fim? É uma hipótese a ser considerada...

• Se um gato preto cruzar o seu caminho, dê meia volta. Gatos pretos são mascotes oficiais do fim do mundo e são habilmente treinados pela máfia maia para se tornarem pequenas armas letais. Através de sofisticadas técnicas de telepatia felina, os bichanos emitem ondas neurais que induzem o leigo andarilho à iminência da tragédia.

• Por fim, evite astrólogos, cartomantes, videntes, ciganas, mães-de-santo, meteorologistas e economistas. Todo e qualquer portador de previsões pode ser um assecla da máfia maia que pretende transformá-lo numa marionete do calendário. Nesta sexta-feira 13, feche seus ouvidinhos para estranhos. Coloque um Greatest Hits ("maiores sucessos" para monoglotas) do Kenny G e espere o dia acabar com serenidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário